Seguindo os passos de sua mãe

A habilidade de falar Inglês abriu um mundo de oportunidades para Carla Bento da VFS Brasil, uma mulher movida pelo desejo de aprender ao longo da vida – e imitando sua mãe inspiradora.

 

Carla Bento é uma mulher da VFS

“Minha mãe é incrível”, ri Carla Bento. “Quando eu era uma criança crescendo no Brasil na década de 1970, o mundo corporativo era basicamente um mundo dos homens. Mas minha mãe administrava uma fábrica de roupas e era muito incomum uma mulher em cargo de Chefia/Gerente. Ela era boa naquilo, a empresa prosperou e ela ganhou o respeito do ‘meio masculino’. Eu sempre tive muito orgulho da minha mãe – do mesmo jeito que ela tem de mim agora. Muito do que eu conquistei é baseado na inspiração que ela me deu”.

Carla é nova em sua função atual como Gerente de Tesouraria e Mercado de Capitais da VFS Brasil. Mas ela está longe de ser nova na companhia. Em seus 21 anos de VFS ela já teve muitos papéis, e ainda anseia experimentar novos. Baseada na gigantesca instalação de 4.000 funcionários do Grupo Volvo no Brasil em Curitiba, a meia italiana e meia alemã Carla é tão apaixonada por trabalhar na VFS hoje quanto no dia em que chegou.

Como um casamento

“Trabalhar na mesma empresa por tanto tempo se torna como um casamento”, ela diz. “Você conhece o lado bom e aqueles poucos não tão bons. Mas quando eu me pergunto: ‘Eu ‘casaria’ com a VFS novamente? Então a resposta é um grande Sim! A VFS me respeita, me motiva e me encoraja a me expressar –  os valores são bem próximos dos meus”.

Enquanto as outras meninas e amigas ficavam em casa fazendo coisas de adolescentes, a mãe visionária da Carla via o poder/importância da comunicação, e enviou sua filha de 14 anos para uma escola para aprender Inglês. Carla tinha uma facilidade natural, e depois de se formar em inglês e morar em sua adorada San Diego nos EUA, ela retornou dirigindo uma das filiais da escola de inglês no Brasil onde por cinco anos estudou.

 “Isso foi muito útil quando eu entrei na VFS”, relembra Carla. “Naquela época a empresa era muito nova no Brasil (funcionários jovens), a Diretoria falava basicamente só Inglês, enquanto a maior parte dos funcionários falava apenas Português. Minha desenvoltura no Inglês me ajudou a atuar como ponte, e em pouco tempo fui envolvida em muitos projetos, novos assuntos, novas responsabilidades e muitas oportunidades. Eu passei adiante o conselho de falar outras línguas para o meu filho Nicolas, de 14 anos - ele já é fluente em inglês e estou incentivando-o a aprender Mandarim agora.

Discussões de equipe – em mais de uma maneira

Falar o mesmo idioma que seus Colegas é apenas uma das formas para uma boa comunicação. Quando Carla se tornou Gerente, muitas vezes se via nas reuniões principalmente das segundas-feiras, com ela e só homens - onde todos estavam conversando sobre futebol - dos quais ela nada sabia.

“Para poder participar das conversas eu assistia um programa de televisão às 23h todo domingo que resumia os jogos daquele final de semana”, diz Carla. “Então na segunda-feira de manhã eu sabia o suficiente para ser incluída na diversão, para interagir com eles – e eu até aprendi a gostar de futebol! Eu ainda assisto aquele programa de TV!”.

Não foi apenas de futebol que a Carla aprendeu a amar, mas sua nova função também. “Isso é uma das coisas que eu amo sobre a VFS”, ela diz. “Que mesmo após 21 anos eles conseguem me surpreender. Eles não veem que minha carreira esteja estagnada e continuam me incentivando a assumir novos desafios e aprender coisas novas. Adoro isso – e irei além para torná-lo um sucesso”.

Mulher de influência

Essa atitude de "ousar tentar" é uma das coisas que Carla promove em sua nova equipe, que inclui 40% de mulheres. "Incentivo-os a serem corajosos em suas carreiras", diz ela. "O mundo está mudando rapidamente e tenho orgulho de ver tantas líderes (Mulheres) em diferentes níveis na VFS".

A fonte de inspiração de Carla - sua mãe.

Assim como sua mãe, Carla é uma inspiração para uma nova geração de mulheres. Que conselho ela dá para todas as Colegas? “Confiem e acreditem em si mesmas – sejam corajosas”, ela diz. “Se você acredita em si mesma, seus colegas (homens e mulheres) te tratarão com respeito e coisas boas virão. Mesmo que você não saiba a resposta e o caminho, “agarre”, siga em frente e diga a si mesmo que você é capaz e resolverá”.

“Assim foi minha mãe sempre me falando – ela enfrentou isso em um tempo bem mais difícil. Eu estou apenas passando à vocês um bom conselho de mãe.”

“I’m proud to be a woman of VFS.”

“Eu tenho orgulho de ser uma mulher da VFS.”